Imobilizadores GM


Display do Kaptor Flex

Nesta matéria serão apresentadas características relacionadas com a adaptação de componentes novos e usados, para os dois tipos de sistemas imobilizadores mais utilizados nos veículos da linha GM.
Abordaremos as seguintes classes de sistemas imobilizadores:

Classe I: Omega '94-'97; Vectra B '97-'01; Corsa –> '01; Tigra '97–'99
Classe II: Astra '98-'01; Zafira; Celta '00-'01

Muito tem sido publicado sobre sistemas imobilizadores: conceitos, funcionamento, diagnóstico. No entanto, existe pouca informação sobre a reutilização de componentes usados e a sua possibilidade de adaptação a componentes já programados.
A seguir, portanto, apresentaremos as possibilidades de adaptação de componentes novos e usados que as duas classes acima citadas, oferecem. Estas dicas serão também, de grande valia para aqueles que, como última tentativa na solução de um problema, trocam temporariamente a unidade da injeção/ignição, para "ver" se resolve. Esta prática muito comum no passado recente, pode não funcionar plenamente para alguns veículos equipados com imobilizador, e corre-se o risco de, em vez de "reutilizar" uma unidade, acaba-se "inutilizando" um componente caro.
A seguir são apresentadas as recomendações a serem aplicadas para obter a correta adaptação de unidades de comando, módulos imobilizadores e chaves.

• Unidade de Comando da Injeção/Ignição

Classe I
Para os veículos desta classe é possível adaptar UCs novas e usadas; a única precaução é seguir a seqüência indicada no Kaptor Flex, por exemplo.

Classe II
Unidades novas: Proceder de acordo com as indicações do Kaptor Flex


Função de codificação de chaves

Unidades usadas: Importante! A adaptação só é possível se previamente a unidade a ser adaptada, foi "RESETADA" no veículo original (no qual estava instalada a referida unidade) antes da retirada da mesma.
Isto é devido ao fato que nos veículos desta classe, a unidade de comando da injeção/ignição e o módulo do imobilizador operam corretamente, somente quando ambos componentes estão programados (adaptados) com as mesmas informações. Ao serem "resetados", utilizando o Kaptor Flex por exemplo, tais informações são apagadas e tanto o módulo imobilizador como a UC, ficam predispostos para serem adaptados a outros sistemas.

• Módulo do Imobilizador


Modo espera por código incorreto

Classe I
Módulos novos: Podem ser adaptados seguindo as indicações do Kaptor Flex, programando neles o código secreto do Infocard ou um outro código de 4 dígitos. Recomenda-se sempre, utilizar o código presente no Infocard.

Módulos usados: Podem ser reutilizados sempre que se conheça o código secreto gravado no módulo imobilizador. Atenção! Existe a possibilidade de que o código gravado não seja aquele do Infocard.

Por tanto, o módulo imobilizador só poderá ser reutilizado se conhecido o código de 4 dígitos que está REALMENTE gravado no mesmo.

Classe II
Módulos Novos: Para a sua adaptação ao veículo, é necessário conhecer o código de 4 dígitos gravado na unidade da injeção/ignição. Este código deveria ser aquele constante no Infocard.
Se ao programar o módulo novo, o código digitado não coincide com aquele gravado na UC, o Kaptor Flex indicará "Programção não Completada", e o módulo do imobilizador ficará RESETADO (virgem). O sistema entra em "Modo de Espera" por 10 segundos. Já na segunda tentativa de programação com código errado, o sistema entrará em "Modo Espera" de 10 a 20 minutos. Durante esse período, o sistema fica bloqueado com o módulo ainda não programado (resetado).

Módulos usados: Antes da reprogramação, o módulo deverá estar RESETADO. Como no caso de unidades de comando usadas, de sistemas Classe II, o procedimento de RESET, deverá ser realizado com o Kaptor Flex por exemplo, no veículo original (no qual estava instalado o módulo), antes da retirada do módulo. Ou seja, quando o módulo que se pretende adaptar, e a UC anterior, estavam mutuamente adaptados.
Com o módulo já devidamente RESETADO, seguir o procedimento indicado no item anterior, para módulos novos.

• Chaves

Classe I
Para esta classe, as chaves são "clonáveis", ou seja, com equipamento apropriado, pode ser gerada uma chave idêntica à outra já programada no sistema.
Também, de pose de uma nova chave (mecanicamente correta), esta pode ser adaptada através do conector de diagnóstico, com o uso do Kaptor Flex, por exemplo.

Classe II
O código da chave é criptografado, Por tanto, as chaves não são "clonáveis". A nova chave, mecanicamente correta, deverá ser adaptada através do conector de diagnóstico, utilizando por exemplo, o Kaptor Flex.


Código secreto do infocard

Esta matéria foi desenvolvida pela equipe técnica da Alfatest.